Restaurar o passado

A obra de restauro levada a cabo na Aldeia de S. Gregório é por si só um dos principais atractivos para quem a visita. Foram necessários mais de dois anos para devolver à aldeia o brilho que noutros tempos já teve.

O abandono a que foi votada fez com que pouco mais sobrasse para além de algumas paredes. Os arruamentos estavam entregues à natureza e os interiores das casas completamente desfeitos.

Para que se cumprissem os objectivos inicialmente propostos o restauro teria que ser o mais fiel possível à obra original mas aliando-a ao conforto e luxos mais recentes. Para isso foram utilizadas técnicas de construção da época conseguindo que a traça original fosse mantida. Ao mesmo tempo procurou-se reconstruir os arruamentos à semelhança do que lá se poderia encontrar em 1483. Mesmo na decoração individual das casas, existiu o cuidado de manter uma linha sóbria e facilmente identificável com o Alentejo rural. Pormenores como os fumeiros e os degraus em pedra suspensa, foram conservados e mantidos intactos na sua função original.

Mais de dois anos de recuperação fizeram com que a aldeia recuperasse toda a sua beleza arquitectónica, tornando S. Gregório num sítio único, onde o conforto dos dias de hoje coabita civilizadamente com a riqueza histórica.