As origens da Aldeia de S. Gregório

As primeiras referências escritas à antiga aldeia de S. Gregório remontam a 1483.

Situada num outeiro tendo a serra d' Ossa como pano de fundo, o local escolhido para este povoamento não podia ser melhor, as terras em volta são ricas para o cultivo, sendo hoje em dia utilizadas para vinha.

O povoamento cresceu e no seu auge chegou a albergar mais de quarenta pessoas.

A aldeia, bem como todas as terras em volta, eram propriedade de um rico morgado de nome D. Luís Galvão Coutinho Freire. Foi a sua localização privilegiada que acabou por ditar o fim de S. Gregório, situada junto a importantes vilas como Estremoz, Borba e Vila Viçosa, a aldeia foi sendo gradualmente deixada pelos seus habitantes, até que nos anos 80 ficou completamente abandonada.

Espelhando bem a crise de desertificação de todo o Alentejo, a Aldeia de S. Gregório manteve intacto o estilo arquitectónico com que foi inicialmente criada no sec. XV. O tempo fez com que as ervas enchessem as ruas, caíssem as paredes e os telhados, mas não alterou a traça original, tornando-a num local único e de valor histórico incalculável.

Deserta e abandonada, foi adquirida em 1998 com o objectivo de a recuperar para um programa de turismo, denominado Turismo de Aldeia.